5 min de leitura

Os investimentos necessários para manter ensino e infraestrutura de qualidade não são baixos. Desenvolvimento de metodologia, professores qualificados, salas agradáveis, materiais didáticos e tantas iniciativas requerem grande compromisso financeiro.

Além disso, mantenedores e gestores de escolas particulares precisam lidar com outra realidade: a do percentual de inadimplência.

Cobrar mensalidade atrasada de um aluno pode se tornar uma situação embaraçosa, se não for feita com cuidado. Patricia Peck Pinheiro, advogada especialista em Direito Digital, que presta assessoria jurídica para diversos colégios do país comenta o assunto.

“Para a escola, é sempre importante ter o administrativo preparado para esse tipo de negociação, especialmente em épocas de crise. Pois a relação escolar não é uma relação de curto prazo, é uma relação de longo prazo”, afirma.

No entanto, existem formas de resolver situações de inadimplência de maneira respeitosa e eficiente, evitando exposição e constrangimento do aluno. Para saber quais são elas, confira nosso post!

1. Não constranger o aluno para cobrar mensalidade atrasada

Na lei 9.870 consta que o aluno não pode sofrer nenhum tipo de constrangimento para que o pagamento seja efetuado. Algumas práticas são proibidas, como reter documentos, impedir o aluno de fazer provas ou outras penalidades.

Medidas legais podem ser tomadas em casos extremos, como medidas judiciais para exigir a cobrança e não renovação da matrícula.

“Mas a via judicial não tem nenhuma abordagem psicológica. Ou seja, não tem nenhum tratamento a respeito de traumas que a família ou o jovem pode passar em uma transferência escolar”, alerta a advogada.

Sendo assim, é interessante estabelecer um protocolo de cobrança que evite envolver o aluno na negociação. Deve-se deixar a responsabilidade para os pais ou responsáveis legais. Dessa maneira, o desempenho acadêmico e o relacionamento com os colegas não ficarão comprometidos.

“Se o aluno estiver familiarizado com o ambiente e os professores, tenha laços de amizade, a transferência é mais difícil e traumática. Especialmente durante o andamento do ano letivo”, diz.

2. Negociar de forma sutil

Uma abordagem agressiva para fazer cobrança de mensalidade atrasada só vai deixar a negociação mais estressante, com pais na defensiva. Normalmente, a inadimplência acontece porque a família está passando por dificuldades ou momentos delicados.

Por isso, utilize-se de abordagens sutis, empáticas e respeitosas na hora de cobrar. Isso demonstra que a escola está realmente preocupada com o bem-estar de todos, não apenas com o lucro.

A escola tem um orçamento alto e que o valor da mensalidade serve para manter a qualidade do ensino e da infraestrutura.

“Você tem pessoas que ficam até dez anos na mesma instituição de ensino. Quanto mais tempo ela fica, menor a predisposição dela sair. É muito melhor renegociar, fazendo um acordo plausível, deixando de cobrar juros ou multas, do que a perder aquele aluno”, recomenda Patrícia.

É preciso, como em toda negociação, ouvir o outro lado e expor a realidade da escola. “Sempre a melhor prática é propor um acordo plausível e coerente de cumprimento para ambas as partes”, recomenda.

3. Manter boa comunicação com os pais

Uma das práticas que ajuda a evitar mensalidade atrasada é manter sempre boa comunicação com os pais. Muitas vezes, enviar lembretes com as datas de vencimento pode abrir um canal de comunicação interessante.

Encaminhar as benfeitorias da escola para conhecimento da família também ajuda a valorizar o trabalho da equipe e dos gestores.

Outra forma bastante interessante é usar a tecnologia para conservar um canal constante de comunicação com os pais. Essa facilidade permite que dúvidas sejam tiradas e avisos sejam enviados, estimulando um relacionamento de confiança entre as partes.

Como a escola pode explorar a eficiência de cada meio de comunicação?

Veja também que a escola pode usar a reunião de pais para melhorar esse relacionamento.

Cobrar mensalidade atrasada é uma das grandes dificuldades em âmbito escolar. A cobrança e a negociação são inevitáveis e necessárias. No entanto, existem maneiras de fazê-la de maneira respeitosa, sem constranger ou prejudicar o aluno. Há, no país, algumas instituições que já estão se destacando por alcançar índices de inadimplência escolar próximos ao zero utilizando as melhores técnicas de gestão.

Bônus: pratique de gestão contra inadimplência escolar

Para debater essas práticas de gestão da inadimplência escolar, a ClassApp, em parceria com a DMC3 Consultoria e Treinamento, realizaram o webinar gratuito “Como diminuir a inadimplência nas escolas particulares? Métodos de cobrança e medidas de prevenção eficientes”.

A palestra online foi realizada no dia 28 de julho (quinta-feira), e foi ministrada pelo professor Dorival dos Santos Machado – consultor, articulista e palestrante com 25 anos de experiência na abordagem ao tema e autor dos livros ” Redução da Inadimplência no Setor da Educação” e “Em busca da Inadimplência Zero”.

Voltado para gestores, mantenedores e administradores de escolas particulares, o webinar teve 1h de duração e arbodou alguns dos pilares atuantes na gestão eficaz da inadimplência, obstáculos externos e internos que afetam os resultados, melhores práticas de cobrança, medidas preventivas e de controle, além de apresentar cases de sucesso.

Descubra os segredos das escolas que estão próximo de zerar seu índice de inadimplência escolar!

QUERO ASSISTIR A PALESTRA

Comentários