5 min de leitura

Com o avanço do coronavírus no Brasil, escolas públicas e particulares do Estado de São Paulo planejam, a partir desta segunda-feira (16 de março), a suspensão das aulas por tempo indeterminado. A medida deve ocorrer até o próximo dia 23, de maneira gradual, para que as instituições de ensino e as famílias tenham tempo para se preparar, tanto pedagogicamente quanto onde deixar as crianças durante esse período. A interrupção das aulas foi anunciada pelo governador de São Paulo, João Doria, na última sexta-feira (13 de março).

“Tendo em vista a necessidade de evitar aglomerações e reduzir o volume do transporte público para prevenir a disseminação do coronavírus e assim evitar sobrecarga dos sistemas de saúde, todas as escolas do estado de São Paulo terão as atividades gradualmente suspensas a partir do dia 16 de março, até a suspensão completa no dia 23 de março”, traz a nota divulgada pela Secretaria Estadual da Educação de São Paulo. De acordo com o órgão, os estudantes que não comparecerem à escola no período de 13 a 20 deste mês (março) terão as faltas abonadas.

O (Sieesp) Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo ressaltou que a paralisação das aulas também ocorrerá em todas as unidades de ensino básica da rede privada. 

“O que os gestores de escolas estão discutindo é se as escolas particulares vão parar apenas no dia 23 ou ao longo desta semana, até para os professores se organizarem e mandarem atividades em casa. A questão que a gente precisa saber para tomar essa decisão é se esses dias de suspensão das aulas presenciais vão ser contados como antecipação das férias ou vão ser contados como dias letivos?”, indaga a diretora pedagógica Fernanda Nyari, da escola Kinder Kampus School, localizada na capital paulista.

Segunda Fernanda, a resposta para essa questão é que irá direcionar a decisão a ser tomada. “Se for considerado antecipação de férias, teoricamente não precisa enviar conteúdo para casa. Se for contado como dias letivos, precisa mandar conteúdo e a gente precisa de um tempo para se preparar para isso. Então, estamos criando os planos, mas vamos precisar de mais diretrizes para conseguir resolver tudo isso”, afirma.

Em comunicado enviado aos pais e mães, o Colégio Ilimit e Ilimit Kids, em Americana (SP) informou que adotará a recomendação do governo, suspendendo as aulas de maneira gradativa, porém, aguardará a publicação do decreto para saber das normas que irão regulamentar o período de interrupção das aulas. 

“Na segunda-feira, dia 16, informaremos qual será nosso procedimento para a suspensão gradativa das aulas e daremos as orientações de estudos para cada um dos segmentos, respeitando as faixas etárias”, traz o aviso.

 

Escolas mantém medidas de prevenção ao vírus

Enquanto realizam a suspensão das aulas de maneira gradual, as instituições de ensino mantêm os cuidados de prevenção ao coronavírus, cujas medidas passaram a ser adotadas desde que o país registrou o primeiro caso da doença.

Além de reforçar a importância da higienização das mãos, o Colégio Magno, que está situado em São Paulo, tem orientado aos estudantes evitar o uso de bebedouros. “Estamos sugerindo a utilização de garrafinhas de água”, pontua a diretora Cláudia Tricate. Outra ação da escola foi colocar nos banheiros da instituição, utilizando post-it, informações de prevenção ao vírus. “Estamos mostrando para as crianças os cuidados que devemos tomar, mas sem apavorar, com o cuidado para não causar pânico”, alerta.

A escola também já havia pedido aos pais e mães que não enviassem para o colégio as crianças que viajaram para o exterior ou que tiveram contato com alguma pessoa que esteve fora do país. “Pedimos para que essas crianças ficassem em casa. Mas foi um pedido e não uma proibição”, esclarece.

A escola Kinder Kampus School enviou para todos os colaboradores do colégio um comunicado informando quais ações preventivas foram adotadas pela instituição. Entre as medidas estão a mudança na rotina de higienização, com o aumento da carga horária da equipe de limpeza para reforçar a higiene dos brinquedos, superfícies, cadeiras, maçanetas, corrimões, entre outros.

As salas também passaram a ser mais ventiladas, mantendo as janelas e porta abertas. Outra orientação foi pedir para as famílias não enviarem ao colégio crianças que apresentassem qualquer sintoma de gripe.

 

Entenda como ocorre a transmissão do coronavírus

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, a transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

– Gotículas de saliva;

– Espirro;

– Tosse;

– Catarro;

– Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão com pessoa infectada;

– Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

 

Como se prevenir contra o coronavírus?

As principais orientações da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo são:
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar;

– Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal;

– Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;

– Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;

– Deslocamentos/viagens não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;

– Quem viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), além de evitar a circulação em mercados de animais e seus produtos.

 

Quais os sintomas do coronavírus?

Os sinais e sintomas clínico são principalmente respiratórios, parecidos com um resfriado comum, como febre, tosse, coriza e dificuldade para respirar.

 

Comentários