3 min de leitura

Geração Alpha

Se o pequeno nasceu após os anos 2000, ele pertence à Geração Alpha. Essa nomenclatura define um contexto de relações e experiências diferente das gerações anteriores.
Em geral, a Geração Alpha – claro que dadas as proporções sociais e geográficas -, são crianças que desde sempre têm contato com inúmeros estímulos, offline e online, que tem repertório e facilidade de busca na palma de suas mãos, literalmente. Todas essas mudanças trazem uma velocidade ímpar para a geração, que se percebe multitarefa, com tempo restrito e medo constante de perder alguma atualização (o chamado fear of missing out), com inúmeros e incontáveis estímulos e portanto, facilmente entediada, e com fácil acesso à informação. E esse cenário acaba por fazer com que a Escola abrace esses novos desafios, a fim de dialogar com esse jovem. 

Pensando nisso, reunimos três dicas para ajudar a preparar sua escola a dialogar com o pequeno Alpha.

 

1. Cultivo ao ócio criativo

Como o mundo exige cada vez mais, as escolas, com a melhor intenção, se preocupam em oferecer o melhor para seus alunos, o que muitas vezes acaba superlotando as agendas dos pupilos, com aulas no contraturno. No entanto, é vital que a criança tenha espaço para cultivar o tempo ocioso, pois este faz com que a criança desenvolva criatividade e controle sua ansiedade. Saber esperar e atuar livre de estímulos é vital para a saúde mental da criança, e isso precisa ser praticado, e a escola deve manter-se atenta a esses espaços.

 

2. Empoderamento infantil

Ensinar e motivar as crianças a resolverem seus próprios conflitos é papel de todos. Desentendimentos são excelentes oportunidades para que os pequenos pratiquem o diálogo e cheguem à uma solução adequada. O empoderamento infantil está diretamente ligado à autoconfiança, a resolução de conflitos e trabalho comunicativo das crianças.

 

3. Trabalho socioemocional

Questione as atitudes das crianças. Tente cultivar a inteligência emocional, as habilidades intrapessoais e as habilidades intrapessoais. Dê espaço para que as crianças entendam e acolham suas próprias emoções. Utilize de diferentes soluções para ambientar conversas sobre sentimentos e emoções. Os desenhos podem ser uma boa pedida, escolha episódios que abordam o tema desejado e depois converse com os pequenos sobre as reflexões ali aprendidas. Na PlayKids temos as séries originais “Eu amo aprender”, “ABC e você” e “Meu amiguinho” que abordam temas diversos relacionados aos conflitos vividos na primeira infância. Essa mediação ajuda a criança a fortalecer seu entendimento, ampliar sua empatia e transpor vivências do desenho para sua vida cotidiana. 

Atividades de relaxamento e autocontrole, como o Original PlayKids Balãozinho, precursor da meditação guiada, também é uma ótima opção para os ensinamentos de bem estar e autocontrole para os pequenos.

 

Leia também:
Geração Y: quais os desafios da escola com os pais dessa geração?

Comentários