1 min de leitura

No Paraná, os colégios da rede estadual de ensino atingiram a média de 62% de presença de estudantes em sala de aula nesta semana, período em que o ensino presencial foi retomando, encerrado a modalidade híbrida no estado.

No Colégio Estadual Professora Marli Queiroz Azevedo, em Curitiba, o índice de presença chegou a 70%, pouco acima da média estadual. “Começamos o retorno gradual em 21 de junho, com poucos alunos. Os pais dos estudantes que estavam em ensino remoto acompanhavam os meets e observavam que quem estava na escola estava cumprindo o distanciamento, que estávamos tomando cuidado. Isso fez com que os pais tivessem mais segurança para este retorno integral, agora”, conta a diretora, Tânia Maria Sugamosto Hennequinn.

Para o professor de matemática José Ricardo Coelho, tanto os alunos quanto os educadores estão em processo de readaptação à nova rotina, uma vez que foram quase dois anos de aulas on-line. “Estando aqui, presencialmente, a gente consegue auxiliar o estudante a cada dificuldade que ele tem. Para eles, está sendo bem importante estar na escola neste momento”, afirma.

Ensino remoto para alunos com comorbidades Com a nova resolução, as escolas da rede estadual passaram a atender os estudantes essencialmente de forma presencial, encerrando as aulas on-line. Entretanto, o ensino remoto será mantido para alunos com comorbidade ou que estejam em isolamento.

Protocolos — Os colégios continuam mantendo as medidas de segurança adotadas desde o retorno presencial gradual. Entre elas, estão a obrigatoriedade do uso de máscaras, a adoção do distanciamento físico entre pessoas, o não compartilhamento de objetos e utensílios pessoais, a limpeza e desinfecção do ambiente e superfícies, entre outras.

Comentários