5 min de leitura

Uma nova polêmica envolveu o Colégio Santo Inácio, da Rede Jesuíta de Educação, no Rio de Janeiro. Desta vez, um grupo de pais de alunos produziu um questionário e distribuiu para outras famílias, ressaltando que a enquete deveria ser respondida ‘apenas por quem estivesse alinhado aos seus objetivos’.  Entre as perguntas do formulário, estão questionamentos indagando se valores comunistas e feministas estão de acordo com a fé católica.

O que acha da ideologia de gênero?”; “Acha que o feminismo está de acordo com a fé católica?”; “Você acha que há tentativas de doutrinação política e ideológica de esquerda, progressista, marxista, comunista e semelhantes no CSI?“. Essas são alguns dos questionamentos, que foram relevados na coluna de Ancelmo Gois, publicada no jornal O Globo.

Diante da repercussão, mais de 200 pais, que não concordaram com o questionário, divulgaram uma nota de repúdio “indignados com o que consideramos uma ameaça à democracia, liberdade de expressão e à formação cidadã e consciente de nossos filhos”.

Formado por atuais alunas da escola, o coletivo feminista Medusa reagiu às perguntas elaboradas inicialmente pelo grupo de pais. “Ao ver o questionário ficamos em choque que tanto ódio estava sendo manifestado contra o coletivo e sua ação, sem qualquer tentativa de comunicação ou de compreensão a respeito dos nossos reais objetivos. Por outro lado, ficamos extremamente felizes com os pais que, em oposição, fizeram uma petição mostrando o seu apoio à liberdade de expressão na escola e ainda ao nosso direito de lutar pela igualdade de gênero”, traz a nota enviada pelas estudante para o Ex News.

O coletivo multigeracional de ex-alunas do colégio, o Coletivo Inaiá, também publicou uma nota de repúdio sobre o caso. “Embora o questionário se apresente como em defesa de tradições e valores cristãos, acreditamos, na verdade, que defende práticas e valores excludentes e opressivos”.

Enquete indagada se valores comunistas e feministas estão de acordo com a fé católica; estudantes reagiram ao questionário
Enquete indagada se valores comunistas e feministas estão de acordo com a fé católica; estudantes reagiram ao questionário

Em 2020, alunas denunciaram casos de assédio contra um professor do colégio

Acusações de assédio contra um professor do ensino médio do Colégio Santo Inácio foram publicadas anonimamente no twitter em junho de 2020. Ex-alunas relataram diversas situações de assédio, o que já teria sido até mesmo reportado para a coordenação ainda em 2016, conforme mostra uma matéria da Veja Rio.

A partir disso, um grupo de alunas do coletivo feminista Medusa cobrou providências da escola e elaborou até mesmo uma cartilha contra o assédio sexual.

“Ano passado, lutamos intensamente contra os assédios sofridos por inacianas, que vieram à tona pelo Twitter. Queríamos justiça para as vítimas, maior transparência por parte da escola e o combate a problemática do assédio no Colégio Santo Inácio, prezando sempre pela garantia dos direitos do coletivo e das alunas acima de tudo. Direitos à voz, liberdade e respeito”, traz a nota enviada pelas alunas.

Entretanto, a luta das estudantes foi um dos alvos criticados no questionário elaborado pelo grupo de pais. O caso foi criticado pela advogada feminista Luciana Boiteux, ex-aluna do colégio. “Uma triste realidade no Colégio Santo Inácio, do qual fui aluna: grupo de pais que se preocupa mais com feminismo do que com assédio. Parabéns às meninas que se organizaram e pautaram o debate sobre o assédio no colégio, fizeram cartilha e elaboraram propostas”, traz seu post no Instagram.

O Coletivo Medusa ainda afirmou que continuará lutando por tornar o colégio um local mais acolher e igualitário. “Os nossos interesses nunca foram gerar uma polarização ou se desviar dos valores cristãos, e sim dar voz e um espaço seguro às mulheres e meninas da instituição, que apesar de comporem uma parte tão essencial do corpo escolar sofriam silenciamentos recorrentes. Ademais, temos como meta representar as demandas discentes e levar informação sobre o feminismo aos estudantes, assim contribuindo com a missão do CSI de formar o aluno como pessoa, e não apenas academicamente”, completa.

A assessoria de imprensa do Colégio Santo Inácio enviou uma nota de esclarecimento. Confira na íntegra:

“Com mais de três mil famílias compartilhando o dia a dia do Colégio, é esperado que coabitem posicionamentos distintos e entendimentos variados sobre os desafios vividos pela sociedade. O Colégio Santo Inácio, alinhado com a proposta educativa jesuíta, acolhe a pluralidade dos estudantes, famílias e colaboradores que fazem parte de sua comunidade escolar, respeitando as diferenças, mas sempre mantendo a fidelidade aos princípios inacianos de formar cidadãos conscientes, competentes, compassivos e comprometidos. Os movimentos autônomos que se organizam entre famílias são de responsabilidade dos próprios grupos e não fazem parte da estrutura organizacional do Colégio. Com todos, a Direção e os educadores buscam uma convivência baseada no diálogo saudável e no respeito. É importante ressaltar que, quando se trata de atividades propostas pelo Colégio, elas são construídas a partir do Projeto Educativo Comum dos colégios da Rede Jesuíta de Educação (RJE) e não sofrem influência alguma de política ou orientação ideológico-partidária.”

 

Comentários