2 min de leitura

Depois de um ano sem competições, a OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) já tem o pódio montado com a 16ª edição, que ocorreu no ano passado, em 2021.

A lista de ganhadores conta com figuras já carimbadas de outras edições. A medalha de ouro ficou com mais de quinhentos estudantes de todo o país. Para o coordenador geral da OBMEP, o matemático Cláudio Landim, os grandes talentos que vêm de escolas estaduais e municipais chamam ainda mais atenção. 

Ao todo, mais de 17 milhões de estudantes se inscreveram na competição, vindos de mais de cinquenta mil escolas de todo o país, públicas e privadas. Os competidores cursam desde o sexto ano do ensino fundamental, até o último ano do ensino médio.

Moradora da capital Rio de Janeiro, a estudante Giovanna de Melo, de 14 anos, levou uma das medalhas de ouro, na competição pelo Colégio Militar do Rio. E essa não foi a primeira, em 2019 ela conquistou outra. Para ela, a OBMEP é um incentivo para estudar matemática.

Outro ouro em 2019 e que recebeu menção honrosa em 2018, foi o estudante de 15 anos, Alder Soares, também morador da capital fluminense, que ficou com a prata nesta última edição. Alder conta que a paixão pela matemática começou com 10 anos inspirado no irmão que também participava da competição. Para ele, a olimpíada acaba sendo divertida por ser diferente das provas do colégio.

Os alunos premiados recebem uma bolsa do CNPQ, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico para participar do Programa de Iniciação Científica júnior.

Além das medalhas de ouro, a OBMEP vai entregar mais de 1.700 medalhas de prata, mais de cinco mil de bronze e mais de 50 mil certificados de menção honrosa. Também se destacaram professores, escolas e secretarias de educação dos municípios. A data das premiações ainda não foi definida.

Fonte: Rádio Agência Nacional

Comentários