4 min de leitura

Desde o início da pandemia, é crescente o número de professores que viralizaram nas redes sociais. São educadores que buscaram estratégias inovadoras para ensinar de maneira mais atrativa aos alunos em plataformas virtuais, como o Youtube, Instagram e Tiktok. E o resultado deu certo! Eles conquistaram milhares de seguidores e bateram recordes de engajamento, tudo isso por conseguirem ensinar de forma fácil, didática e divertida.

Toda essa transformação tecnológica que o cenário pandêmico trouxe para as aulas, possibilitando um dinamismo ainda maior, deve repercutir até mesmo no ensino presencial. Essa é a aposta do professor Sandro Caldeira, que é delegado de polícia e estudioso em neurociência da educação. “Os professores são verdadeiros heróis e mesmo antes da pandemia já buscavam novos métodos de ensino para essa nova geração que está acostumada com informação rápida e visual”, afirma.

Pelo Youtube, Caldeira tem conquistado estudantes de todo Brasil. O educador tem feito sucesso com sátiras de sucessos do funk e sertanejo em suas aulas de direito. Por experiência própria, ele acredita que a pandemia provocou a possibilidade de uma migração célebre para o ambiente virtual. “Isso exigiu um processo criativo conjunto, com treino, capacitação e adoção de novas metodologias, fazendo surgir o que chamamos Edutubers, com milhões de visualizações nas plataformas de streaming com youtube, levando ensino gratuitamente”, comenta.

De acordo com Caldeira, a educação no ambiente virtual proporciona diversas possibilidades de utilização de ferramentas tecnológicas, o que traz dinamicidade para as aulas. “Claro que é preciso que haja acesso do docente a essa tecnologia, como câmeras de qualidade, computadores de tela touch, com caneta para escrita na tela, uma boa iluminação do local onde a transmissão ocorrerá. Precisamos fazer algo com qualidade para esse aluno”, afirma.

Para a professora de língua portuguesa do ensino fundamental e médio Simone Porfiria, os educadores precisam estar onde os estudantes estão. E, mais do que isso, ela ressalta que é necessário mostrar que estudar pode ser divertido e desafiador. “Os professores que se inovaram levando conhecimento através das redes sociais descobriram isso”, pontua. 

No ensino presencial, Simone acredita que os alunos são a própria fonte de inspiração para conseguir manter o dinamismo na sala de aula. “As redes sociais podem e devem estar presentes na sala de aula, não precisamos ter medo disso. Elas podem ser grandes aliadas na incansável busca pelo saber. Isso é possível e os próprios alunos nos mostram como”, explica a professora, que faz sucesso no TikTok, tirando dúvidas e dando dicas sobre a língua portuguesa.

Professora de português tem mais de 180 mil seguidores no TikTok
Durante o período inicial de isolamento por conta da pandemia, a professora de língua portuguesa do ensino fundamental e médio Simone Porfiria conta que utilizava o aplicativo TikTok apenas para seu próprio entretenimento. Tanto que em um determinado momento, chegou a pensar em desinstalar o app. “Mas amigos do Instagram, onde eu já dava dicas de português, mais precisamente nos stories, fizeram o apelo de que eu começasse a dar dicas de português no TikTok também”, lembra.

Professora de língua portuguesa faz sucesso no TikTok
Professora de língua portuguesa faz sucesso no TikTok (Reprodução/Instagram)

E a sugestão funcionou muito bem. Em uma semana, Simone saiu de mil seguidores e chegou em 50 mil. “Eles interagem deixando várias outras perguntas e pedem para que eu nunca pare de postar as dicas”, ressalta. Clique aqui para acessar o conteúdo desenvolvido por Simone. 

Professor conta como surgiu a ideia de utilizar sátiras durante as aulas
A paixão pela música sempre esteve presente na vida do professor Sandro Caldeira, que é delegado de polícia e estudioso em neurociência da educação. Após terminar a faculdade de direito e começar a estudar para a OAB (Ordem do Advogado do Brasil) e para concursos, Caldeira achou o estudo engessado e com um volume grande de conteúdo.

“Comecei a ministrar aulas antes de passar em concurso e percebi a necessidade de inserir novos elementos pedagógicos para tornar o ensino para dinâmico e prazeroso. Assim, como sempre gostei de música, e sabendo que sua inserção auxiliaria os alunos no processo de fixação do conteúdo estudado, comecei a escrever paródias com temas jurídicos e testar a receptividade dos alunos”, explica.

Segundo o professor, a aceitação foi imediata e os alunos de outras salas começaram a frequentar as aulas dele para assistir as paródias. “Era um momento de descontração, mas sempre focado no conteúdo a ser passado”, conta. Clique aqui para assistir uma das paródias de Caldeira. 

 

Comentários