6 min de leitura

Qual a melhor forma de avaliar os alunos que estão estudando em casa? Como aplicar provas e testes via computador durante a quarentena? 

O isolamento social fez com que as escolas tivessem que elaborar um plano pedagógico para manter as aulas de forma não presencial. E também criar uma nova forma de avaliar seus alunos a distância.

O mercado educacional vinha adotando formas de avaliação contínuas e multidimensionais, verificando o desempenho do aluno ao longo do dia a dia na escola e não somente com provas, trabalhos e outras avaliações formais. Mas como acompanhar os alunos da mesma maneira enquanto eles estão em casa por causa do ensino remoto emergencial?

 

Como tem feito o Colégio Visconde de Porto Seguro

O Colégio Visconde de Porto Seguro é uma das escolas mais conceituadas de São Paulo. Tem mais de 1.700 colaboradores (sendo cerca de 700 professores) e 9.000 alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, em 4 unidades: Morumbi, Panamby, Valinhos e Vila Andrade. Esses números incluem o projeto social Escola da Comunidade, que fornece bolsa de estudo para cerca de 1.600 alunos, moradores das comunidades de Vila Andrade e Paraisópolis. A escola, que tem o currículo em português e alemão, recebeu selos e certificados como o Distinguished School, da Apple e o Microsoft Education.

Com a suspensão das aulas presenciais, o colégio apostou forte no uso da plataforma Microsoft Teams, programa que já vinha utilizando desde o ano passado de forma parcial:

“Com o cancelamento das aulas presenciais, o processo de uso da plataforma teve que ser agilizado. Mas o fato de o ambiente do Microsoft Teams já estar montado e em utilização no colégio ajudou muito o sucesso que estamos tendo agora”, diz Alexandre Marcondes, diretor de tecnologia e informação do Porto Seguro.

 

Leia também:
Soluções gratuitas ou de baixo custo para implantar ou aprimorar o EAD da sua escola

 

O projeto de EAD da escola é chamado de E-Learning Porto e conta com suporte tecnológico aos professores em todos os campus. Foram criados 45 estúdios para que os professores tenham os melhores recursos para gravar suas aulas, caso precisem, apesar de estarem fazendo home-office. Outra medida tomada foi unificar todas as turmas de cada série em apenas uma sala on-line

Segundo Joice Lopes Leite, diretora de educação digital do Porto Seguro, antes do fechamento das escolas a plataforma Teams estava sendo utilizada em sala de aula para que os alunos e professores trocassem documentos e criassem grupos de trabalho, cada um usando o seu próprio computador (método conhecido como BYODBring your own device ou traga seu próprio dispositivo). 

Agora, a plataforma é usada para dar aulas por internet e também avaliar os alunos. 

“A verificação da aprendizagem utiliza recursos tais como o Forms – ferramenta de avaliação do Teams, que permite que os professores enviem questões dissertativas e objetivas em tempo real ou como atividade agendada. Dessa forma, os professores podem acompanhar os estudos dos alunos em casa e dar seu feedback”, diz Carlson Toledo, diretor institucional pedagógico do Colégio Porto Seguro.

A escola vem realizando simulados pré-vestibulares e enviando questionários de auto-avaliação, além de disponibilizar as salas virtuais, nas quais os alunos entram via computador para conversar com os professores sobre as matérias ensinadas on-line e corrigir exercícios. 

Segundo a diretora institucional do Fundamental II, Iara Bertolani, as avaliações realizadas até agora já permitem perceber que o isolamento social ofereceu aos alunos uma excelente oportunidade para eles assumirem mais autonomia no processo de aprendizagem.

“A relação professor/aluno se modifica bastante na medida que só é possível êxito se houver uma estreita parceria entre os atores envolvidos. A percepção dessa nova relação implica, naturalmente, na responsabilidade de cada estudante em assumir o seu protagonismo e as suas escolhas, num cenário totalmente diferente daquele que estava anteriormente ambientado, em que a atuação passiva já não tem mais espaço”, diz Iara.

Segundo a diretora, o processo avaliativo também se torna mais autônomo:

“O aluno entende a verificação da sua aprendizagem como um direito de cada um para se auto avaliar e redirecionar o seu próprio trabalho.”

 

O exemplo da Escola Vereda

A Escola Vereda tem cerca de 2.000 alunos em suas três filiais no estado de São Paulo: Santo André e São Bernardo do Campo, no ABC paulista, e na Mooca, capital. A escola foi inaugurada em 2017 com o objetivo de mudar a realidade da educação no Brasil, criando um centro de alta qualidade educacional que fosse acessível a mais famílias (o ticket médio da escola é de cerca de R$ 900,00, incluindo período integral, material didático e alimentação).

Para a Vereda, a avaliação é fundamental no processo de ensino-aprendizagem. O colégio realiza testes diagnósticos antes de iniciar uma atividade pedagógica, avaliações sobre o desenvolvimento do estudo e também avaliações externas no começo e no fim do ano, para diagnosticar as competências desenvolvidas e, dessa forma, promover eventuais ajustes no currículo da escola.

 

Leia também:
Aprendizagem colaborativa e ensino a distância – tendências da educação

 

Para o período de ensino remoto emergencial, a escola optou por não reproduzir as mesmas atividades avaliativas, levando em consideração que um novo modelo precisaria ser pensado e que boa parte das avaliações do trimestre já tinha sido realizada. 

“Achamos necessário levar em conta as múltiplas tecnologias no trajeto em EAD e como elas poderiam estimular um ambiente seguro de ensino-aprendizagem, para depois traçarmos uma proposta de avaliação”, diz Thais Milson, coordenadora de Editorial e Projetos da Vereda.

O que vem sendo realizado durante a quarentena é um processo de avaliação baseado em atividades, como trabalhos que são apresentados pelos alunos em formatos como podcast e vídeo e que valem nota.

Thais lembra que, de acordo com as orientações do Conselho Nacional de Educação (CNE), do Conselho Estadual de Educação (CEE) e da Secretaria de Educação (SEDUC), as notas das atividades e avaliações na modalidade não presencial também compõem a nota do trimestre, para não prejudicar o ano letivo e avaliar o aprendizado no EAD.

“As atividades aplicadas à distância são indicadores importantes de como os estudantes estão aprendendo durante a quarentena. Mas já estamos planejando para o nosso retorno uma avaliação diagnóstica que faça uma análise profunda do assentamento do processo de ensino-aprendizagem em cada estudante, além da reorganização das nossas atividades”, finaliza a coordenadora da Escola Vereda.

 

Comentários