4 min de leitura

O Novo Ensino Médio começou a ser oficialmente implementado nas escolas públicas e particulares de todo o país neste ano. Depois de tantos anos seguindo a mesma fórmula para essa etapa, não faltam desafios para colocar em prática um novo modelo de educação para os estudantes.

Apesar da mudança ser desafiadora, há soluções que podem ajudar na transição. 

O primeiro desafio é garantir que todos os envolvidos, alunos, professores e gestores, entendam as mudanças desse novo modelo. A solução para isso é dar tempo e ser flexível para que as mudanças sejam, aos poucos, absorvidas por todos. 

“Ainda que tenha sido amplamente debatido por muito anos, materiais tenham sido preparados, os professores tenham passado por formações, é só na implementação que entenderemos de fato as mudanças que esse novo modelo propõe”, diz Katia Smole, diretora executiva do Instituto Reúna e fundadora do Instituto Mathema de formação e pesquisa.

O novo ensino médio foi aprovado por lei em 2017, com o objetivo de tornar a etapa mais atrativa e evitar que os estudantes abandonem os estudos. Estados, municípios e escolas tiveram os últimos anos para estudar como implementar o novo modelo, que prevê parte das aulas sendo comum a todos e outra parte optativa, ou seja, os estudantes irão escolher em que área querem aprofundar os conhecimentos. 

Segundo Smole, as escolas precisarão de um período para encontrar a melhor organização de espaços físicos e tempos para criar itinerários separados para os alunos. Por exemplo, onde alocar as turmas que farão disciplinas diferentes. 

Centralidade do professor

Outro entrave é compreender a centralidade do professor no novo modelo. Como o formato prevê que os alunos irão escolher itinerários de conhecimento para aprofundar, os docentes precisam receber formação e apoio para elaborar aulas diferentes da que estavam acostumados a dar.

“O professor vai precisar de apoio, formação, espaço para trocar ideia com os colegas para entender como deverão ser as aulas. A formação continuada será fundamental nesse processo”, ressalta Smole.

Assista a palestra com José Moran e José Pacheco:

O Papel do Professor na Educação Contemporânea

Fortalecer a escolha dos alunos

A grande mudança do Novo Ensino Médio é dar oportunidade aos alunos de escolher qual área do conhecimento querem ter mais aulas e se aprofundar mais. Para que eles se sintam confiantes em tomar a decisão, é importante que as escolas os ajudem nesse processo de escolha.

“O aluno precisará de ajuda para identificar com qual área tem mais afinidade, em que pretende trabalhar e porque seguir determinada trajetória o ajudará nesse objetivo. Como nunca houve essa opção de escolha nas escolas brasileiras, eles vão precisar de orientação”, explica.

Mudança do Enem

Outro obstáculo para implementar o Novo Ensino Médio ainda depende do Ministério da Educação (MEC), que é o órgão responsável pela realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“A mudança do exame vai ser determinante para que a gente veja de fato as alterações em sala de aula. O exame não pode continuar com o mesmo formato, se o aluno está tendo aula de outra maneira”, diz Smole.

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou, no início de março, um parecer em que define como será o novo Enem, com provas diferentes por áreas de conhecimento a partir de 2024. O MEC, no entanto, ainda não homologou o documento.

Pela proposta do CNE, os candidatos farão uma prova com questões sobre o conteúdo básico comum a todos e uma segunda prova com questões mais aprofundadas, a ideia é que ele indique a área em que fez o itinerário no ensino médio. 

“Temos uma ótima oportunidade de tornar o ensino mais atrativo para os nossos jovens. É a primeira vez que pedimos para que eles nos digam o que querem aprender. Se a organização e aplicação desse modelo ocorrer de forma responsável, podemos ter uma mudança significativa na nossa educação”, conclui Smole. 

Saiba mais!

Conecta Escolas Exponenciais

Katia Smole, diretora executiva do Instituto Reúna e fundadora do Instituto Mathema de formação, é uma das convidadas do Conecta Escolas Exponenciais, onde palestrou sobre o Novo Ensino Médio: Terreno Fértil para Inovação, na companhia de Bruna Caruso. O evento foi realizado presencialmente no dia 13 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo. Confira como foi aqui!

Para aprofundar mais sobre esse assunto, confira o artigo:

O Novo Ensino Médio em 2022

Comentários