2 min de leitura

Um novo relatório do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), divulgado nesta quinta-feira (28), revela que 31 países de baixa e média renda não estão preparados para o ensino remoto. De acordo com o estudo, pelo menos 200 milhões de crianças em idade escolar vivem em territórios que permanecem despreparados para implantar essa modalidade de educação, caso aconteça futuros fechamentos emergenciais de escolas. Entre esse grupo de alunos, 102 milhões vivem em 14 países que mantiveram suas escolas total ou parcialmente fechadas por pelo menos metade da pandemia de covid-19.

Segundo Unicef, 31 países não estão preparados para o ensino remoto / Foto: Unicef
Segundo Unicef, 31 países não estão preparados para o ensino remoto / Foto: Unicef

O Brasil não faz parte da lista de países avaliados nesse relatório. Benin, Burundi, Costa do Marfim, Congo, Etiópia, Madagascar, Malawi, Níger e Togo estão entre os países com a necessidade mais significativa de melhorias no setor da educação.

“Mesmo em meio a uma emergência contínua, sabemos que haverá outra, mas não estamos fazendo progresso suficiente para garantir que, na próxima vez em que os estudantes sejam forçados a sair da sala de aula, eles tenham opções melhores”, disse Henrietta Fore, diretora executiva do Unicef.

Durante o cenário pandêmico, o impacto da falta de prontidão para o ensino remoto foi especialmente sentido por estudantes que moram em países onde as escolas estiveram total ou parcialmente fechadas por pelo menos metade dos últimos 19 meses, como Congo e Madagascar.

“Embora perturbadores, os últimos 19 meses nos deram um vislumbre do que é possível durante e depois da pandemia. Junto com parceiros, temos trabalhado arduamente para alavancar o poder da tecnologia e fornecer oportunidades de aprendizagem para crianças, adolescentes e jovens em todos os lugares”, ressaltou. O relatório descreve as limitações da aprendizagem remota e as desigualdades de acesso, alertando que a situação é possa ser muito pior do que mostram os dados disponíveis.

Descobertas do relatório – Segundo a divulgação do Unicef, entre os 31 países que não estão prontos para fornecer ensino a distância em todos os níveis de educação, os estudantes da África Ocidental e Central são mais afetados; 17 países têm prontidão média; 19 países têm prontidão acima da média. O relatório aponta ainda que a educação pré-primária é o nível de educação mais negligenciado.

Argentina, Barbados, Filipinas e Jamaica têm o mais alto nível de prontidão. No entanto, mesmo entre aqueles com pontuações nacionais mais altas no índice, as disparidades dentro do país significam que as crianças que vivem em famílias mais pobres ou em áreas rurais têm maior probabilidade de não assistir às aulas durante o fechamento das escolas.

Fonte: Unicef
Foto: Unicef/UN0506339/Ijazah

Comentários