2 min de leitura

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) destinará R$ 4,1 milhões para apoiar um projeto de R$ 8,3 milhões do Instituto Iungo, entidade sem fins lucrativos criada em 2020 em Minas Gerais, com foco na formação de professores. Os recursos do BNDES, não reembolsáveis, são oriundos do Fundo Socioambiental, mantido pelo banco de fomento para “apoiar investimentos de caráter social, nas áreas de geração de emprego e renda, saúde, educação, meio ambiente e/ou vinculadas ao desenvolvimento regional e social”.

Esse é o primeiro projeto aprovado num “novo ciclo” do Fundo Socioambiental, informou o banco de fomento. Nos últimos meses, o BNDES vem sinalizando que projetos voltados para a educação, com destaque para o ensino básico e o profissionalizante, farão parte de seu foco de atuação.

O projeto do Instituto Iungo que será apoiado pelo BNDES tem duas frentes e beneficiará 15 Estados, conforme o banco. A primeira, que ficará com 70% dos recursos, é o programa Itinerários Amazônicos, “que propõe a concepção, elaboração e implementação dos itinerários formativos do ensino médio com foco na Amazônia, considerando a complexidade ambiental, social, histórica e cultural da região”.

Segundo o BNDES, o projeto prevê a implementação do programa em todos os Estados da Amazônia Legal – Pará, Amazonas, Amapá, Roraima, Acre, Rondônia, Tocantins, Maranhão e Mato Grosso.

A segunda frente do projeto apoiado é programa Nosso Ensino Médio, implementado em oito redes de ensino estaduais – Amazonas, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e “mais um Estado da Amazônia Legal a ser definido”.

“O programa oferece formação abrangente e continuada a professores e gestores para que as escolas se apropriem das mudanças previstas para o ensino médio no país, viabilizando a implementação dos novos currículos nas redes de ensino apoiadas”, informa o BNDES, em nota.

Vinicius Neder

Comentários