3 min de leitura

Com mensalidades escolares de até R$ 5 mil, o Colégio Palmares, localizado em Pinheiros, zona norte de São Paulo (SP), está demitindo funcionários e com salários atrasados. Em novembro de 2020, a escola foi comprada por um grupo de investimento, após um acordo milionário.

De acordo com SinproSP (Sindicato dos Professores de São Paulo), a instituição de ensino atrasou os salários de maio e julho, sendo que o pagamento do primeiro mês “foi pago em parcelas e, até 20 de agosto, alguns professores ainda não tinham recebidos o salário de julho”.

Nesta semana, outros colaboradores da escola, que não são educadores, também teriam sido demitidos. “Segundo informações recebidas pelo SinproSP, a direção avisou que as verbas rescisórias não seriam pagas e que poderia recontratar os trabalhadores como PJ, com salários mais baixos”, traz a nota do sindicato.

Representantes da entidade se reuniram com o corpo docente para discutir a situação e tentar encontrar uma solução. “O sindicato também procurou a direção do Palmares e exigiu o pagamento imediato dos salários e o respeito aos direitos trabalhistas de todos os trabalhadores, professores ou não. Uma reunião com representantes da escola estava prevista para terça-feira (24), mas foi cancelada pelo SinproSP diante do descumprimento dos compromissos assumidos pela diretoria do colégio. A escola será denunciada junto ao Ministério Público do Trabalho”, afirma o sindicato.

Por meio do departamento de marketing, a direção da escola enviou para à reportagem do Escolas Exponenciais uma nota de esclarecimento. Segue na íntegra:

“O Colégio esclarece que, em razão dos efeitos econômicos causados pela pandemia, somado às dificuldades naturais da implantação de uma nova gestão, ocorreram alguns atrasos e a reorganização dos custos operacionais da escola.

Quanto ao atraso no pagamento dos salários da categoria, conforme empenho formalizado em ata com SINPROSP, todos os pagamentos de salários já foram realizados na data de ontem 25/08/2021. Sendo que a nova gestão já assumiu o compromisso com seus colaboradores que esse infeliz fato não mais se repetirá.

O Colégio também esclarece que, em razão do remanejamento de custos e da implantação da nova gestão, foram necessárias algumas demissões, e elas serão conduzidas estritamente dentro dos ditames legais. Declara ser inverídica e repudia a acusação de ameaças no trato com seus funcionários. Por fim, esclarece que, em suas tratativas com a entidade sindical, sempre manteve total transparência, buscando conciliar os interesses do Colégio face a preocupação com seu time de colaboradores”.

Há menos de um ano, Palmares foi comprado por grupo de investimento

Uma das mais tradicionais escolas de educação básica de São Paulo, o Palmares foi comprado pelo LIT Capital Group. Na mesma época, o grupo também adquiriu a Escola Equilíbrio, outra instituição de renome devido ao projeto pedagógico. O negócio, anunciado em novembro de 2020, envolveu o valor de R$ 150 milhões apenas no primeiro ano, entre custos da aquisição e investimentos, segundo informações do SinproSP.

Comentários