2 min de leitura

Voltado para professores dos ensinos fundamental e médio, coordenadores pedagógicos e diretores de escola, a escritora Kiusam de Oliveira ministrará o curso on-line “A Literatura Negro-brasileira do Encantamento Infantil e Juvenil como Território de Ação da Pedagogia Eco-ancestral”. A iniciativa é da a Academia Estudantil de Letras (AEL).

Serão oferecidas 200 vagas, divididas em quatro turmas. As inscrições serão realizadas nesta terça-feira (26), às 12h30. É necessário fazer a inscrição neste link. Os encontros síncronos do curso serão nos dias 9, 16, 23 e 30 de maio, das 19h30 às 21h.

Durante a programação, a pedagogia eco-ancestral, conceito formulado pela escritora e professora Kiusam, será apresentado, bem como exemplos de obras com essa concepção cultural, que visa proporcionar um espaço para a elaboração do contradiscurso hegemônico enquanto possibilidade teórica, prática e metodológica de modificar paradigmas estruturais que reproduzem o racismo entre os profissionais da educação e no cotidiano escolar.

Um dos objetivos é problematizar os métodos e materiais de trabalho, em especial obras literárias, utilizados nas unidades educacionais, compreendendo as experiências e relações que se afirmam nas instituições escolares.

Kiusam chama o curso de “Eguigunaráokú”, que significa esqueleto. “Um corpo saudável, com uma estrutura óssea perfeita traz, em si, a possibilidade do movimento em prol da comunidade. A formação, nesse momento, tem o propósito de construir um currículo vivo a partir de outros paradigmas em educação, que dê sentido e significado à vida de todos os estudantes, saindo da lógica ensimesmada de ver e entender a educação”, afirma Kiusam.

Quem é Kiusam de Oliveira?

Nascida em Santo André, grande São Paulo, Kiusam atua como professora há mais de 25 anos, dedicando grande parte deste período à Educação Especial e à formação de profissionais de Educação no município de Diadema/SP.

Desenvolveu também, ao longo de anos, atividades formativas para educadores e profissionais de todas as áreas juntamente às instituições públicas e privadas, com temáticas relacionadas à diversidade de gêneros, questões étnico-raciais e afins.

A partir de 2009, iniciou uma sequência de lançamentos literários, com grande repercussão nacional e internacional. Suas obras foram premiadas por diversas frentes: com o livro Omo-Oba-Histórias de Princesas.

 

*Com informações da Secretaria de Educação de São Paulo
Foto: Secretaria de Educação / Reprodução

Comentários