3 min de leitura

Com o intuito de favorecer a aprendizagem, principalmente, de adolescentes com deficiência intelectual, o projeto Ensino de Ciências inclusivo e interdisciplinar: acessibilidade ao conhecimento e sonhos para o futuro da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP vai auxiliar a Escola Estadual Professora Glete de Alcântara na criação de espaço com recursos didáticos que possibilitem a aplicação de metodologias mais inclusivas. 

Serão comprados recursos didáticos que possibilitem aplicação de metodologias mais inclusivas”, como conta a professora Daniela Gonçalves de Abreu Favacho, do Departamento de Química da FFCLRP, coordenadora do projeto. Entre os recursos, a professora cita brinquedos e jogos sensoriais para autismo, modelos moleculares que poderão ser manuseados pelos alunos, pranchas de comunicação. “Alguns professores da escola também colaboraram na elaboração do projeto e apontamentos de recursos que seriam interessantes”, diz a Daniela. Paralelamente, a equipe da USP realizará encontros formativos com os educadores. 

Para o coordenador da escola, Luiz Fernando Martinelli, trata-se de um “projeto importantíssimo que faz a ponte entre a Universidade e a escola pública e enriquece o conhecimento acadêmico e científico da comunidade escolar do bairro Parque Ribeirão”. 

Educação financeira para comunidade carente 

Além do conhecimento científico, os responsáveis pelo projeto pretendem promover oficinas de educação financeira e usar conceitos científicos para criar produtos que possam gerar renda. “O projeto garantirá a realização de oficinas que ensinem fazer sabonete, aromatizantes e produtos de limpeza em geral, explorando os conceitos científicos atrelados à prática”, explica a professora e acrescenta que, além de explorar a ciência, serão pensadas formas de viabilizar a venda dos produtos produzidos pelos alunos. Os alunos poderão levar para casa os produtos que fabricarem nas oficinas.

A escola está localizada no bairro Parque Ribeirão Preto e possui 743 matriculados, divididos entre os níveis do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). O coordenador Martinelli destaca a importância do projeto para essa comunidade que “além da carência social, é carente de acesso a bens culturais e científicos, sendo estes tão importantes para a formação cidadã e compreensão da realidade”. 

O projeto foi contemplado no sétimo Edital USP/FUSP/Santander – Fomento às Iniciativas de Cultura e Extensão e, além da professora Daniela, a equipe é composta pela professora de química da E.E. Professora Glete de Alcântara, Ana Rosa Jorge de Souza, a coordenadora da escola Raphaela Henriques Raposo, os docentes da FFCLRP Glaucia Maria da Silva Degréve, Joana de Jesus de Andrade, Rogéria Rocha Gonçalves, Geraldine Goés Bosco e pelos funcionários do Departamento de Química, Daniela Mica Espimpolo e Thiago de Souza Cavallini.

Instituto disponibiliza plataforma com cursos sobre educação inclusiva

O Instituto Rodrigo Mendes (IRM) possui uma plataforma de Ensino a Distância (EAD) com cursos sobre educação inclusiva. A iniciativa conta com a parceria da Fundação Lemann e com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

A iniciativa tem o objetivo de promover a formação de educadores e gestores públicos sobre educação na perspectiva inclusiva. Conheça mais sobre a plataforma aqui.

*Fonte: Jornal da USP, com edição do Escolas Exponenciais

Comentários