9 min de leitura

Pensadores e educadores na prática ao mesmo tempo, eles atuaram ao longo de suas carreiras de maneira a influenciar profissionais da área através de várias gerações

Ideias, métodos, conceitos. Sem isso, é impossível pensar em um ambiente regular de ensino. Ao longo da história, os filósofos da educação se dedicaram a imaginar, pesquisar, desenvolver, testar e demonstrar caminhos para o aperfeiçoamento da educação e, consequentemente, para o ambiente e os indivíduos em contato com ela. Trabalhos de longa data, produzidos no Brasil ou ao redor do mundo, influenciam a carreira de educadores até hoje. Por isso, preparamos uma lista com os 10 filósofos da educação cujas contribuições permanecem como referências. Confira quem são eles:

10 filósofos da educação Paulo Freire

Paulo Freire: Nasceu em 19 de setembro de 1921, em Recife (PE) | Morreu em 2 de maio de 1997, em São Paulo (SP)

O educador e filósofo brasileiro é considerado um dos pensadores mais notáveis na história da pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento chamado pedagogia crítica. É também o Patrono da Educação Brasileira.

Sua prática didática estava fundamentada na ideia de que o educando assimila o objeto de estudo fazendo uso de uma prática dialética com a realidade, em contraposição àquilo classificado por ele como educação bancária, tecnicista e alienante.

Autor de “Pedagogia do Oprimido”, livro que propõe um método de alfabetização dialético, sempre defendeu o diálogo com as pessoas simples, não só como método, mas como um modo de ser realmente democrático. 

Foi o brasileiro mais homenageado da história, com pelo menos 35 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades da Europa e América. Sendo um dos mais notáveis filósofos da educação.

 

Confira também:

Confira 10 podcasts para fazer parte da rotina do gestor escolar

 

10 filósofos da educação Anísio Teixeira

Anísio Teixeira: Nasceu em 12 de julho de 1900, em Caetité (BA) | Morreu em 11 de março de 1971, no Rio de Janeiro (RJ)

Personagem central na história da educação no Brasil, nas décadas de 1920 e 1930, o jurista, intelectual, educador e escritor brasileiro difundiu o movimento da Escola Nova, que tinha como princípio a ênfase no desenvolvimento do intelecto e na capacidade de julgamento, em preferência à memorização. 

Reformou o sistema educacional da Bahia e do Rio de Janeiro e foi signatário do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, em defesa do ensino público, gratuito, laico e obrigatório, divulgado em 1932. Fundou a Universidade do Distrito Federal, em 1935, depois transformada em Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil.

Na concepção de educação que serviu de base para os escritos e a obra de Anísio Teixeira está a sua própria atuação como educador. A contribuição deixada por ele para a educação no Brasil é considerada importante até hoje.

10 filósofos da educação Darcy Ribeiro

Darcy Ribeiro: Nasceu em 26 de outubro de 1922, em Montes Claros (MG) | Morreu em 17 de fevereiro de 1997, em Brasília (DF)

O antropólogo, historiador, sociólogo, escritor e político brasileiro notabilizou-se fundamentalmente por trabalhos desenvolvidos nas áreas de educação, sociologia e antropologia. Planejou e dirigiu a implantação dos Centros Integrados de Ensino Público (CIEPs), um projeto pedagógico de assistência em tempo integral a crianças, incluindo atividades recreativas e culturais para além do ensino formal.

Foi um dos responsáveis pela criação da Universidade de Brasília e da Universidade Estadual do Norte Fluminense. Publicou diversos livros, vários deles sobre os povos indígenas, mas o mais conhecido é “O Povo Brasileiro”, obra em que aborda a formação histórica, étnica e cultural da população do País.

As ideias desse filósofo da educação de identidade latino-americana influenciaram vários estudiosos. E como ministro da Educação, antes da ditadura militar, realizou reformas que o levaram a ser convidado a participar de mudanças na estrutura de universidades no Chile, Peru, Venezuela, México e Uruguai.

10 filósofos da educação Florestan Fernandes

Florestan Fernandes: Nasceu em 22 de julho de 1920, em São Paulo (SP) | Morreu em 10 de agosto de 1995, em São Paulo (SP)

O sociólogo foi uma das figuras mais ativas na defesa da escola pública, em temas como piso salarial dos professores, eleição de diretores pela comunidade escolar, mecanismos de gestão democrática e participativa nas instituições educativas, e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

Como educador, era considerado exemplar, com relatos de ter acompanhado todo o ciclo de ensino de cada um de seus alunos. Florestan acreditava que a educação teria a capacidade de transformar a sociedade, e a escola representaria o eixo desse processo, como uma instituição prioritária de fortalecimento da cultura cívica.

Também deixou como legado a importância de se enfrentar as heranças coloniais e escravocratas, com o combate ao racismo e todas as formas de exclusão e opressão.

10 filósofos da educação José Pacheco

José Pacheco

O educador português de 71 anos é um defensor ativo da gestão democrática na Educação e crítico do sistema tradicional de ensino. Fundador da Escola da Ponte, uma referência mundial em inovação a partir de um projeto desenvolvido por quase 30 anos.

Em 2005, passou a residir no Brasil. Desde então, viaja pelo país, mobilizando educadores que acreditam em uma educação transformadora e democrática. Coordenou a pesquisa sobre indicadores de boa qualidade da educação no Distrito Federal e integrou o Grupo de Trabalho de Inovação e Criatividade da Educação Básica no Ministério da Educação. 

É ainda coordenador pedagógico da EcoHabitare Projetos, empresa social que visa promover uma educação conectada com necessidades sociais do século 21. Ele participou do Conecta Escolas Exponenciais em 2021, confira.

10 filósofos da educação Maria Montessori

Maria Montessori: Nasceu em 31 de agosto de 1870, em Chiaravalle (Itália) | Morreu em 6 de maio de 1952, em Noordwijk (Holanda)

A educadora, médica e pedagoga italiana é conhecida mundialmente pelo método educativo que desenvolveu e que permanece utilizado até hoje em escolas públicas e privadas.

Ao longo de sua trajetória, Montessori destacou a importância da liberdade, da atividade e do estímulo para o desenvolvimento físico e mental das crianças. Para ela, liberdade e disciplina se equilibram, não sendo possível conquistar uma sem a outra. Adaptou o princípio da auto educação, que consiste na interferência mínima dos professores, pois a aprendizagem teria como base o espaço escolar e o material didático.

Seu método pedagógico foi implementado considerando a criança, o ambiente e o educador, tendo como foco a educação sensorial, considerada por ela a base da educação intelectual.

10 filósofos da educação John Dewey

John Dewey: Nasceu em 20 de outubro de 1859, em Burlington (EUA) | Morreu em 1º de junho de 1952, em Nova York (EUA)

O filósofo e pedagogo norte-americano foi um dos principais representantes da corrente pragmatista e escreveu extensivamente sobre pedagogia. A pedagogia de Dewey era intimamente ligada ao seu ideal democrático, de dar aos estudantes os meios e o caráter necessário para participar ativamente da vida pública e social. Ou seja, a educação deveria servir para resolver situações da vida e a ação educativa tinha como elemento fundamental o aperfeiçoamento das relações sociais.

Ele também demonstrava preocupação sobre a relação inseparável entre teoria e prática, e acreditava que o conhecimento era construído de forma coletiva, por meio do compartilhamento de experiências. Ou seja, o ensinamento de pouco vale se não for aproveitado no dia a dia. No período pós-Guerra Fria, os preceitos da Educação Progressiva foram aplicados na reforma de muitas escolas.

10 filósofos da educação Célestin Freinet

Célestin Freinet: Nasceu em 15 de outubro de 1896, em Gars (França) | Morreu em 8 de outubro de 1966, em Vence (França)

O pedagogo francês, referência da pedagogia de sua época, desenvolveu propostas que continuam a ter grande ressonância na educação até hoje.

Como para Freinet a pedagogia comporta a preocupação com a formação de um ser social que atua no presente, o professor deve mesclar seu trabalho com a vida em comunidade, criando as associações, conselhos, eleições, formas de participação e colaboração de tudo, na formação do aluno, no sentido da defesa da fraternidade, respeito e crescimento de uma sociedade cooperativa e feliz. 

Para Freinet, “a democracia de amanhã é preparada na democracia da escola”. Ele desenvolveu o seu método pedagógico usando o mínimo de materiais didáticos, fruto do trabalho em regiões pobres da França. É autor das propostas das aulas-passeio, dos cantinhos pedagógicos e da troca de correspondências entre as escolas.

10 filósofos da educação Jean Piaget

Jean Piaget: Nasceu em 9 de agosto de 1896, em Neuchâtel (Suíça) | Morreu em 16 de setembro de 1980, em Genebra (Suíça)

O biólogo e psicólogo teve como principais temas de pesquisa a gênese do conhecimento, a evolução até a adolescência humana, passando pelo desenvolvimento cognitivo e as formas como os indivíduos aprendem o mundo.

O suíço debruçou seus estudos principalmente sobre a forma como as crianças constroem o conhecimento, levando em consideração aspectos cognitivos, morais, sociais, afetivos e linguísticos da aprendizagem. Isso baseou a fundação daquilo que ele chama de epistemologia genética.

As descobertas de Piaget evidenciaram que a transmissão de conhecimentos, no sentido professor-aluno, é limitada e, por isso, educar seria estimular as crianças a procurar o conhecimento, favorecendo sua atividade mental.

10 filósofos da educação Maria Nilde Mascellani

Maria Nilde Mascelllani: Nasceu em 2 de abril de 1931, em São Paulo (SP)  Morreu em 19 de dezembro de 1999, em São Paulo (SP)

A pedagoga foi a coordenadora do Serviço de Ensino Vocacional, que tinha como objetivo disseminar e ampliar a experiência das classes por meio dos Ginásios Vocacionais, em cidades do estado de São Paulo. A proposta utilizava estratégias de integração curricular, como os estudos do meio, projetos de intervenção na comunidade e planejamento curricular através da pesquisa junto à comunidade. 

Além disso, a educadora em diferentes escolas públicas paulistas foi uma das idealizadoras das Classes Experimentais, proposta de educação que visava fortalecer a autonomia dos educandos e seu envolvimento na gestão escolar. 

Depois de ser presa durante a ditadura militar, publicou inúmeros trabalhos e textos, e criou um centro educacional na Faculdade de Psicologia da PUC-SP, onde foi também foi professora.

Descubra mais pelas telas!

Depois de saber mais sobre filósofos na educação, que tal conferir sugestões de filmes e séries recomendados para gestores escolares? O EX preparou uma lista com 10 sugestões de obras que trazem lições valiosas para o dia a dia do ambiente de ensino.

Confira também:

10 dicas para inovar na escola: como revolucionar os ambientes de aprendizagem?

Comentários