1 min de leitura

O governo de São Paulo publicou o decreto que concede abono salarial complementar para supervisores de ensino e diretores de escola que recebem menos que o piso salarial do piso nacional. O pagamento será retroativo a janeiro de 2022.

Receberão a diferença todos os profissionais destas categorias com salário menor ao valor do piso, que é de R$ 3.845,63 para 40 horas semanais e R$ 2.884,22 para 30 horas semanais. O salário base é calculado pela somatória do valor da faixa e nível e do complemento do piso. Sobre o valor do abono complementar, incidem os descontos previdenciários e de assistência médica.

O abono salarial complementar do piso nacional também se aplica aos supervisores e diretores designados, bem como aos inativos e pensionistas, inclusive aos que integram as classes suporte pedagógico em extinção, com reajustes fixados pela paridade de remuneração.

 Serão contemplados com o abono complementar 3.561 diretores de escola e 703 supervisores de ensino da rede estadual de educação.

Plano de carreira

Com o intuito de tornar a carreira de professor mais atraente, valorizar o desempenho dos servidores e contar com novos talentos, o Governo de São Paulo informou que reformulou os critérios de reajuste salarial e de desenvolvimento profissional. A partir de uma pesquisa realizada com os próprios docentes, foi criado o Plano de Carreira e Remuneração

*Com informações da Secretaria Estadual de Educação

Comentários