3 min de leitura

Após um hiato de dois anos, as festas juninas presenciais voltam a ser celebradas nas escolas em 2022. Com a melhora dos casos de coronavírus no país, as instituições de ensino já estão se organizando para a retomada da festividade, que é marcada pelas apresentações, brincadeiras e comidas típicas.

E não eram apenas os educadores que aguardavam com ansiedade para a realização das festas juninas presenciais. A expectativa das famílias também é grande para o evento.

“No começo de maio já tinham famílias entrando em contato para saber que dia seria a festa e como seria”, conta Magda Machado Ribeiro Venancio, diretora da Escola Terra Brasil, que fica localizada em Atibaia, interior de São Paulo.

De acordo com Magda, as famílias dos alunos terão entrada liberada na comemoração e para as demais pessoas que queiram prestigiar o evento será cobrada uma taxa de R$ 10,00. Álcool em gel e tapetes sanitizantes estarão à disposição.

No Colégio Mercedário Nossa Senhora das Mercês, em São Paulo, a festa será aberta para toda a comunidade e ocorre em dois domingos, com divisão das turmas.

“A expectativa é muito boa, pois 95% dos alunos participarão das danças”, conta a diretora pedagógica Ana Lúcia Ferreira de Moraes Teixeira.

 

Festa folclórica

Em 2020, as comemorações foram apenas on-line, promovendo brincadeiras e momentos de diversão com os alunos. Em 2021, educadores e estudantes realizaram uma festividade no espaço escolar, mas sem a participação das famílias.

Esse o cenário descrito por Marcela Guardia, diretora do Espaço Lúdico e Espaço Pensar. No entanto, certamente essa também foi a vivência para a maioria das instituições de ensino.

“Estamos muito animados para a festa junina, saudade de celebrar a cultura popular brasileira. Na verdade, a gente nem chama de festa junina porque a escola não tem caráter religioso, a gente chama de festa folclórica”, explica.

Entretanto, apesar da alegria de realizar a comemoração presencial, Marcela afirma que existe uma preocupação por conta da pandemia, que apesar de os números epidemiológicos apresentarem uma melhora com o avanço da vacinação, a circulação do vírus ainda não acabou.

“Ao mesmo tempo tem ainda aquele fundinho de preocupação, porque a gente sabe que a pandemia não acabou”, afirma.

Os responsáveis pelos estudantes receberão um comunicado que reforçará o pedido para não comparecer ao evento se houver manifestação de sintomas gripais, haverá álcool em gel nos espaços de alimentação e as pessoas que estiverem trabalhando nas barracas usaram máscara de proteção.

A festa presencial será aberta para toda a comunidade educativa, que é composta pela família, alunos e profissionais da escola, conforme explica Marcela.

Festas juninas presenciais

Confira neste artigo 8 passos para organizar a festa junina na sua escola!

 

Foto: Oswaldo Meireles / Divulgação Prefeitura de São Paulo

Comentários