2 min de leitura

Nesta semana, dois minicursos da Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica da USP vão abordar o ambiente escolar, suas condições e efeitos sobre o desenvolvimento da criança e as possibilidades de inovação. Nesta terça-feira, dia 5, às 19 horas, a professora Ana Laura Godinho, da Faculdade de Educação da USP, mostrará, a partir de uma perspectiva histórica, como se iniciou a preocupação em criar boas condições para o desenvolvimento de crianças. Para isso, ela passará por questões da psicologia, pedagogia, medicina e arquitetura, considerando o ambiente escolar não apenas em sua dimensão espacial, mas também afetiva, social, moral e política.

Já na quinta-feira, dia 7, também às 19 horas, a professora Diana Vidal, da Faculdade de Educação da USP, estará com Ariadne Ecar, pós-doutoranda na cátedra, para abordar o ensino ao ar livre como uma experiência de inovação pedagógica. Elas vão discutir a relação entre espaços abertos e fechados, explorando exemplos históricos, iniciativas atuais, soluções arquitetônicas e experiências brasileiras.

Colóquio aborda os desafios do ensino fundamental

Além dos minicursos, a Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica promoverá, também nesta semana, um colóquio para discutir o ensino fundamental, que compreende alunos de 6 a 14 anos. Organizado em parceria com o Instituto Anísio Teixeira, vinculado à Secretaria Estadual de Educação da Bahia, o evento será realizado nesta quarta-feira, dia 6, às 16 horas, com a curadoria da professora Bernardete Gatti, da cátedra.

Para Bernardete, o nível educacional que surgiu da junção dos antigos ensino primário (dos 7 aos 10 anos) com o ginasial (11 aos 14 anos) foi criado sem uma discussão aprofundada e ampla sobre certas questões relativas ao aprendizado. Entre elas estão aspectos pedagógicos e de socialização, além do desenvolvimento cognitivo de crianças e adolescentes. De acordo com Bernardete, isso gerou uma justaposição artificial de uma etapa escolar que se pretendia contínua, mas que se traduz por uma descontinuidade real.

Essa falta de articulação, de acordo com a professora, gera problemas e desafios que serão discutidos no colóquio: a passagem para o ensino médio, o tratamento dado à literacia das crianças, a fragmentação curricular e a formação dos professores para essa etapa educacional. Para ler o texto de apresentação preparado pela professora Bernardete Gatti e ver a lista de palestrantes, acesse a página do evento.

Texto: Jornal da USP
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Comentários