1 min de leitura

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira a implementação da merenda escolar extra para mais de 700 mil estudantes em situação de vulnerabilidade social da rede estadual. A medida vai entrar em vigor a partir de 27 de setembro, após as famílias de baixa renda inseridas no Cadastro Único do Governo Federal inscreverem seus filhos no sistema da Secretaria da Educação.

Serão investidos R$ 424 milhões na ação, que faz parte da política de alimentação suplementar implantada pela Secretaria da Educação durante o cenário pandêmico. A partir desta quinta-feira (9), os estudantes interessados podem realizar a manifestação de interesse no site. As refeições começam a ser servidas a partir do dia 27 de setembro.

A distribuição da refeição extra será feita da seguinte maneira:

  • Estudantes do período diurno nas escolas regulares terão direito a duas refeições diariamente: uma na escola e a outra que poderá ser levada para casa;
  • Estudantes do período noturno nas escolas regulares, além da merenda servida na escola, será fornecido kit alimentação;
  • Estudantes em escolas de ensino integral em adição à refeição diária, os dois lanches já servidos ganharão reforço.

 

Comentários