Professor do futuro: entenda como capacitar seu corpo docente
Inovação e Gestão

Professor do futuro: entenda como capacitar seu corpo docente

4 min de leitura

A expressão que muito se ouve falar hoje em dia é Professor do Futuro, mas existem escolas que saíram na frente e transformaram o “professor do futuro” no “professor do presente.” Afinal, formar profissionais para atender as demandas dos alunos do século XXI é essencial para engajar os estudantes, fidelizar pais, aumentar o potencial de matrículas e fazer com que a sua escola se destaque em um mercado tão competitivo.

Professor do Futuro é também o nome de uma empresa criada no Rio de Janeiro, que oferece assessoria pedagógica para que professores saibam usar da melhor forma recursos tecnológicos na educação. A educadora Heloisa Teixeira Argento, gestora da empresa, conversou com a gente para explicar exatamente o perfil desse profissional. Heloisa é Mestre em Educação, Pedagoga e pós-graduada em Gestão de EAD e Psicopedagogia.

Quem é o Professor do Futuro?

“Existe um novo processo de aprendizagem. O aluno de hoje nasce com a tecnologia dentro dele, tendo características muito diferentes do aluno do século XX. O aluno do século XXI é mais dinâmico e demanda aulas mais atrativas. Ele precisa ser provocado, estimulado. O professor do futuro é aquele que inova sua metodologia de ensino”, diz Heloísa, que também é Coordenadora de Tecnologias Digitais na Educação no Colégio São Bento, no Rio de Janeiro.

Segundo ela, o “professor do futuro” já existe, mas ainda em pequeno número. “Existem muitos professores interessados em mudar, porém se puderem contar com uma formação continuada, certamente terão mais segurança para atuar com as novas metodologias que aparecem o tempo todo.”

 

Confira também:

Qual o impacto da formação dos professores para ter uma escola inovadora?

 

A importância da motivação dos gestores escolares

Diante dessa demanda, gestores escolares precisam oferecer treinamento – e motivação -para que seu corpo docente se atualize quantos às práticas mais inovadoras no mercado educacional.

“A escola precisa proporcionar momentos de formação continuada e acreditar o quanto as inovações pedagógicas agregam um valor imenso à formação do aluno, colaborando para o sucesso da instituição. As escolas só vão conseguir uma pedagogia inovadora quando seu corpo docente estiver qualificado, preparado para desenvolver um trabalho usando tecnologia de forma integrada às atividades curriculares”, afirma Heloisa.

A educadora alerta para o fato de que não basta modernizar equipamentos e instalações. “A escola precisar mudar a forma de encarar a inovação, perceber que a geração que hoje está na escola é uma geração nascida na cibercultura, faminta por informação, curiosa, imediatista e incrivelmente autodidata. Não basta comprar computadores. É importante ter equipamentos modernos, investir em infraestrutura, mas, mais do que tudo, é importante qualificar o profissional para que ele saiba como usar esses recursos tecnológicos. As escolas que mantiverem sua educação baseada nas gerações passadas não vão conseguir atender as demandas das gerações atuais.”

Fizemos uma lista com 20 competências básicas do Professor do Futuro:

  1. Busca aprimoramento constante.
  2. Domina idiomas.
  3. Procura desenvolver habilidades socioemocionais nele próprio e em seus alunos. “Não é só conteúdo que interessa hoje em dia. O conteúdo é muito importante, mas existem muitas necessidades fundamentais para o mundo atual, para quando o aluno chegar ao mercado de trabalho poder atender as demandas e expectativas desse mercado. Isso significa ter autonomia, ter senso crítico, ter autoconhecimento, de forma ativa e protagonista”.
  4. Sabe se comunicar bem com toda a comunidade escolar: direção, pais, alunos …
  5. Pratica escuta ativa, se propondo a ouvir o outro com atenção e sem pré-julgamentos.
  6. Vive de forma empática, se colocando no lugar do outro e pensando no que é melhor para todos.
  7. Estimula a expressão de seus alunos.
  8. Defende a diversidade.
  9. Está sempre atento a inovação, aproveitando o potencial das novas tecnologias.
  10. Age como um curador de conteúdo.
  11. Trabalha para desenvolver o pensamento crítico de seus alunos.
  12. Usa metodologias de ensino ativas, como gamificação, aprendizagem por pares, aprendizagem baseada em problemas, sala de aula invertida, …
  13. Estimula o empreendedorismo.
  14. Busca sempre tornar suas aulas mais dinâmicas e colaborativas.
  15. Estimula a interatividade entre alunos e dos alunos com o conteúdo que está sendo ensinado em sala de aula.
  16. Tem capacidade de liderança, sem adotar uma postura rígida e ditatorial. Sua postura é democrática e inspiradora.
  17. Trabalha para desenvolver a inteligência emocional de seus alunos, estando atento a problemas comuns nos dias de hoje, como depressão, ansiedade, bullying.
  18. Não se limita a habilidades técnicas, as chamadas hard skills, e foca também nas soft skills.
  19. Compartilha seu protagonismo com seus alunos, sendo um facilitador do processo de aprendizagem.
  20. Trabalha de maneira multidisciplinar. Mesmo atuando em uma área específica, navega por outras disciplinas para proporcionar uma experiência de ensino mais completa a seus alunos, contextualizando temas, de forma a tornar os conteúdos mais atrativos e mais fáceis de serem entendidos. 

Confira também:

O papel do professor diante das novas tecnologias no processo educativo

Comentários
WordPress Theme built by Shufflehound. 2020. Escolas Exponenciais. Todos os direitos reservados.