Recesso escolar: Como os diretores podem aproveitar melhor esse período?
Tendências e Métricas

Recesso escolar: Como os diretores podem aproveitar melhor esse período?

6 min de leitura

Todo mundo quando pensa na palavra férias imagina um tempo para ficar de pernas para o ar, sem fazer nada. Certo? Nem sempre! Enquanto alunos e professores descansam para voltar com força total, o recesso escolar significa muito trabalho de gestores para aprimorar sua instituição de ensino. 

Aqui vão algumas boas dicas para aproveitar da melhor maneira os dias que restam antes do início do segundo semestre.

Prepare-se para receber mais alunos

Com o avanço da vacinação, muitas famílias estão retornando seus filhos para as escolas de forma presencial. Fora isso, existem alunos que começam a frequentar a escola no segundo semestre. 

Christina Sabadell, educadora com MBA em Gestão de Negócios, diz que é o recesso de julho é hora de aproveitar a pausa na rotina para melhorar toda a logística da escola de forma geral. 

“Estamos observando um retorno importante de alunos da Educação Infantil para as escolas, uma faixa etária que teve muitos cancelamentos por causa da pandemia. Isso significa uma nova adequação da escola para receber mais alunos e ainda assim manter o distanciamento recomendado” diz a Diretora das escolas premium do grupo SEB (Pueri Domus, em são Paulo e Brasília, Sphere International School, em São José dos Campos e Carolina Patricio, no Rio de Janeiro, com mais de 5.000 anos. 

Confira também:

O que é o movimento maker e por que adotá-lo na sua escola

Gestores recomendam que o recesso seja usado para rever o planejamento pedagógico a fim de analisar o que está funcionando e o que precisa de ajustes (tanto no ensino presencial quanto no remoto).  E sempre uma boa estratégia é oferecer cursos que podem aprimorar a equipe da escola – e isso não inclui somente treinamento de professores. É preciso cuidar com frequência da capacitação da equipe administrativa, do pessoal de limpeza, da portaria … E, claro, analisar se é necessário contratar novos professores.

A virada de semestre também é o momento certo para realizar ações de marketing a fim de fidelizar alunos e conseguir novas matrículas. 

“É hora de organizar todo o processo de preparação de matrículas para o próximo ano, que normalmente ocorre nas escolas entre agosto e setembro”, completa Christina.

Fique de olho na arquitetura

 O recesso escolar é também um momento excelente para fazer obras de manutenção nas instalações da escola, aproveitando que salas de aulas, corredores e pátios estão vazios. “Com a escola vazia fica mais fácil identificar pontos que precisam de cuidado imediato e no recesso há tempo hábil para que tudo seja feito com a calma e capricho necessários”, diz Claudia Mota, sócia do escritório Ateliê Urbano, inaugurado em 2003 e que há 6 anos trabalha com foco em escolas particulares de todo o Brasil.

Julho também pode ser um bom momento também de realizar obras maiores (ainda que parcialmente), desde que haja um planejamento prévio. Por exemplo, se a reforma for grande demais, é possível dividi-la por etapas que coincidam com o recesso de inverno e com as férias de verão. Como aconteceu na escola See Saw Panamby, de São Paulo em 2016, 2017 e 2018.

“Algumas escolas fazem pesquisas de satisfação com seus alunos e conseguem identificar as intervenções que são mais importantes com base na opinião dos usuários”, diz Claudia.

Fora isso, pode ser um bom momento de criar salas temáticas, espaços de cultura maker e fazer pequenas mudanças que mudam muito. 

“A iluminação é um detalhe que pode gerar uma grande melhoria no espaço. É relativamente simples de se fazer, com um custo bem razoável e prazo curto. Pintura também é algo que surpreende. A escolha das cores certas pode transformar um ambiente sem graça em um local de grande atração para os alunos. Fora isso, acredito que o mobiliário pode ser um também investimento interessante: bancos novos na área externa, a reforma do balcão de atendimento ou estantes mais coloridas na biblioteca são alguns caminhos que podem ser seguidos”, exemplifica Claudia. 

Cuide dos equipamentos e reveja seus softwares

Em tempos de tanta ligação entre educação e tecnologia, não deixe de fazer uma boa manutenção de equipamentos eletrônicos. Computadores, smartphones, tablets precisam estar perfeitos para atender a demanda online cada vez maior, ainda mais em tempos de ensino híbrido.  Além disso, é fundamental estar de olho aberto para implementar novas tecnologias que possam ajudar no dia a dia das aulas.

Tenha atenção total aos protocolos sanitários

E nesse check-list para ver se tudo vai estar perfeito para começar o segundo semestre, é essencial conferir se sua escola está dotando os melhores protocolos sanitários, estando atento ao que outros estão fazendo, não só no Brasil como no resto do mundo. 

Um exemplo criativo e que vem mostrando grande eficácia desde o ano passado é o da escola Atuação, no Rio Grande do Sul. Esther Cristina Pereira, proprietária da escola que tem 1.600 alunos em Curitiba, implementou uma ideia bacana que veio da Finlândia:  o uso de cores para controlar melhor a troca de máscaras. “Às 9h45 as crianças colocam máscara azul, às 13h40 trocam por uma amarela e às 15h45 é a vez da branca. Fazemos isso desde que a escola reabriu em novembro e as próprias crianças já chamam a atenção de quem não faz a troca. Ah, e cada vez que trocamos as máscaras, tocamos uma música. Dessa forma, ao ouvir a música os alunos já sentam, pegam seu gel (cada um tem o seu), higienizam as mãos e trocam as máscaras, guardadas em um estojo individual com divisórias para limpas e sujas”, explica Esther.

Surpreenda seus alunos na volta do recesso escolar

Por fim, pense em uma novidade bem legal para surpreender alunos e seus pais na volta às aulas. E depois conta para a gente o que a sua escola está preparando de melhor nesse recesso escolar! Nada como ter – e compartilhar – boas ideias pensando em melhorar sempre a educação brasileira.

Confira também:

Como se preparar para época de matrícula escolar e evitar a evasão?

Comentários