2 min de leitura

Foram inúmeros os desafios que a pandemia trouxe para a educação. Entretanto, apesar de todo o impacto provocado no setor, o novo cenário possibilitou diversos aprendizados. E para falar sobre “O que esperar do futuro da educação”, o Conecta Escolas Exponenciais convidou duas diretoras para participar do painel ‘Bate papo com gestores escolares’: Luiza Bacelar, que é diretora geral da Escola Crescimento, de São Luís (MA), e Rosana Cristina Páscoa, que é diretora da Escola Perdizes Agnus Dei, de São Paulo (SP). O evento foi realizado na tarde desta quarta-feira (8).

Para Luiza, apesar de todas as dificuldades vivenciadas neste período, ela afirma que a escola entrará em 2022 mais fortalecida. “Com a pandemia, a história da educação foi reescrita. A educação avançou, acelerou um processo que já estava vivendo. Percebemos que dentro da escola precisamos ter um olhar muito sensível para alunos, colaboradores e famílias”, afirma.

De acordo com ela, a instituição de ensino é um local de interação e vínculo, e cada vez mais precisa proporcionar esses pontos. “Agora temos uma equipe psicológica para dar apoio aos professores. É um cuidado novo para a escola”, relata.

Mesmo otimista para o próximo ano letivo, Luiza ressalta que é preciso ter um planejamento flexível. “Precisamos enxergar o futuro de forma otimista. Mas é necessário planejar de uma forma diferente, mais flexível. Pode ser que em determinado momento tenha que fechar de novo, ou pode ser que em algum momento o ensino tenha que ser híbrido”, reflete.

Já para Rosana, o maior obstáculo enfrentado pela escola foi por ser especializada em educação infantil. “Sabemos da importância da criança interagir com a natureza, com os outros, seus pares. Mas na pandemia foi o oposto. Precisávamos manter contato com essas crianças e era pela tela”, desabafa.

Porém, a diretora destaca que o aprendizado das plataformas digitais, que aumentou as possibilidades e trouxe mais conhecimentos, será levado para os próximos anos. “Penso em um 2022 mais esperançoso, aos poucos vamos reconquistar tudo o que ficou e coisas novas que aprendemos com as plataformas digitais serão acrescentadas”, completa.

 

Comentários