1 min de leitura

As metodologias ativas foram um dos assuntos de destaques abordados por palestrantes no Conecta Escolas Exponenciais. O educador José Moran e a professora Débora Garofalo falaram sobre boas práticas dessa estratégia de ensino durante a 5ª edição do evento.

Moran ministrou sobre “Metodologias ativas: como desenvolver sua equipe pedagógica”. De acordo com o especialista, não basta apenas investir em uma formação intensiva dos professores. “Precisa ter uma equipe de acompanhamento e de mentoria, com o objetivo de acompanhar os professores e conversar sobre as melhores práticas”, afirma.

Outro ponto abordado por Moran foi também a importância de arriscar e experimentar. “Um projeto pode sair como não planejado. Projetos precisam de ajustes e avaliação contínua”, pontua.

Para Débora, uma das maiores relevância das metodologias ativas é por colocar os estudantes no centro do processo de aprendizagem. “Se continuarmos com aulas expositivas, esses meninos não estarão envolvidos. Precisamos de uma aprendizagem rica e significativa”, destaca.

A professora, que é 1ª mulher brasileira e 1ª sul-americana a ser finalista no Global Teacher Prize, considerado o Nobel da educação, e uma das dez melhores professoras do mundo, também comentou sobre a cultura maker, que tem conquistado destaque nos últimos anos.

“Cultura maker ganhou força na educação, pois tem como objetivo a investigação de resolução de problemas”, explica.

Comentários